quinta-feira, março 23, 2017

Roma: Piazza del Campidoglio


Já fui a Roma 5 vezes.

A primeira foi em 2006 e praticamente não desenhei. Nem sei desses desenhos. Não os publiquei no blogue. Foi numa viagem de carrinha desde Lisboa que durou um mês...

A segunda foi em 2011 e, quando olho para esses desenhos, até fico envergonhado. Não tive muito tempo, mas, ainda assim, como é possível que, em 6 anos, o meu desenho melhorasse tanto? Espero daqui a 6 anos ter a mesma sensação...

A terceira foi em 2012 na única viagem que fiz. Foi nesse ano que levei os retiros de diários gráficos para Itália e me apaixonei ainda mais pela cidade. Publiquei também este post nos USkP sobre um dos exercícios do retiro.

A quarta foi em 2014. Fui lá com os meus alunos de Artes Visuais das Doroteias. Foi muito especial essa viagem. Ir a Roma como professor é uma tarefa quase impossível. Uma pessoa esfalfa-se toda, mas os desenhos ficarão sempre aquém do espírito da cidade...

A quinta foi este ano, 2017. Reunião de trabalho, tal como em 2011. Sinto que aproveitei melhor o pouco tempo que tive. Os desenhos, esses, vão sendo publicados com alguma reflexão e tempo, mas também fiz um resumo mais geral da viagem aqui.


Porquê este enquadramento todo?
Porque das cinco vezes, nunca tinha desenhado a Piazza del Campidoglio. Sempre fui lá. Sempre. Mas nunca a tinha desenhado...
Foi desta!

6 comentários:

Miguel Antunes disse...

Esta Piazza escapou-me. Ainda pensei que fosse uma em que passei mas nao. Roma tem tanta coisa que `e facil nao ir a todos os lugares

Que cidade incrivel. os 3 primeiros dias foram para adaptar a mente a todo o tsunami de historia!

E as noites quentes!!!!

Que cidade!

Espero la regressar em 6 anos e comparar os desenhos!

P.S. que desenho fabuloso este!!!!

ab

Henrique Vogado disse...

Incrível a tua evolução em 6 anos. Muito bom rever os teus desenhos ao longo destes anos e nessa grande cidade. A ver se lá volto. Gostei muito de Roma.

Mário Linhares disse...

Olhar para trás é sempre uma lição de humildade, mas penso que o grande desafio é olhar para a frente da mesma forma. Aprendemos muito mais assim...

Celeste Vaz Ferreira disse...

É por causa destes posts que sinto que faço parte de algo especial, onde pessoas especiais fazem um comentário tão grande como o que o Mário aqui fez!

Vitor Mingacho disse...

O desenho acaba por registar de um modo muito forte a forma como mudamos e evoluímos. Tive a mesma sensação que tu ao olhar para os desenhos que fiz em Barcelona, em 2012 e 2016.

teresa ruivo disse...

Ver como todos - até os mestres - evoluem tanto dá-nos alento! Faz-nos sentir que ninguém tem limites, nem nós, por isso podemos sempre tentar mais e melhor. Grazie per aver condiviso:)
(Mário, tenho uma curiosidade: de que tamanho é este teu caderno?)